Novidades

EXPEDIÇÃO PATAGÔNIA – PARTE 4 – PENÍNSULA VALDÉS

1

Patrimônio Natural da Humanidade pela Unesco, área natural protegida, santuário ecológico, lar e local de reprodução de baleias francas, pinguins, leões e elefantes marinhos, orcas, golfinhos, aves marinhas, aves de rapina, onde também habitam tatus, guanacos, raposas, choiques, lebres e outros animais terrestres, a Península Valdés fica a aproximadamente 100km da cidade de Puerto Madryn e é um dos principais destinos na Patagônia Argentina.

8

Choique, também conhecido como Nandu-de-darwin

3

Falcão-peregrino

Melhores épocas para avistar animais na Península Valdés:

Baleia Franca Austral (Eubalaena australis) – Entre junho e dezembro.

Orca (Orcinus orca) – Entre fevereiro e maio.

Golfinho comum (Delphinus delphis) – Todo o ano.

Leão-marinho(Otaria flavescens) – Todo o ano.

Elefante-marinho (Mirounga leonina) – Todo o ano.

Pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus)  – Entre setembro e março.

5

Visitamos a Península Valdés em fevereiro, logo não avistamos a Baleia Franca Austral e infelizmente não tivemos a sorte de avistar Orcas mesmo sendo época. Porém conseguimos avistar alguns golfinhos, leões e elefantes marinhos aos montes e uma pequena colônia de pinguins. Todos os pontos de observação da Península Valdés são protegidos ou por enormes penhascos ou por cercas que não podem ser transpostas.

2

Falésias protegem os pontos de observação

A entrada na reserva custa 100 pesos, aproximadamente R$ 30,00. A infra estrutura é boa para o tamanho da reserva, possui centro de visitantes que conta com muita informação sobre a fauna e flora local.

O único vilarejo da região é Puerto Pirámides, de onde saem os passeios de barcos para avistamento de baleias, o lugar conta com restaurantes, algumas pousadas, lojas de conveniência e o único posto da região (importante abastecer se estiver de carro).

A península é dividida geograficamente segundo o mapa que recebemos na entrada, em Punta Delgada, Caleta Valdés e Punta Norte. É ligada ao continente pelo Istmo de Ameghino que separa o Golfo Nuevo, do Golfo San José.

Bem próximo a Puerto Pirámides está Punta Pirámides onde há uma grande colônia de Lobos marinhos.

6

Lobos-marinhos podem ser avistados o ano todo

Punta Delgada, ao sul, é uma grande roubada, chegamos lá e o local é propriedade particular, dentro de um hotel que cobra para entrar, no mapa não estava escrito nada sobre isso, como já estávamos lá resolvemos pagar, mas a mulher que cuida do local avisou que não havia animal algum então nem chegamos a conhecer o local.

Caleta Valdés abriga uma grande colônia de leões-marinhos, de lá também observamos alguns golfinhos, o local é muito bonito, tem-se uma visão privilegiada do oceano contrastando com as grandes falésias, vale à pena!

Entre Caleta Valdés de Punta Norte existe uma colônia de pinguins, bem menor que a de Punta Tombo, vale pela paisagem e por estar a caminho de Punta Norte.

Já Punta Norte conta com uma grande colônia de leões e elefantes-marinhos.

Vale lembrar que o caminhos entre esses pontos de observação é bem longo, entre ida e volta são aproximadamente 400km, por isso é importante ficar atento ao horário, dirigir de noite pela Península não é muito aconselhável. Se estiver com excursão contratada é mais tranquilo, o pacote já deve incluir dois dias no passeio.

No interior da península existem muitas fazendas que vivem da criação de ovelhas, algumas delas abrem a visitação, é um passeio diferente, nessa viagem não o fizemos, mas é muito bem falado pelos guias!

7

Fazendas de criação de ovelhas trabalham com turismo rural na Península Valdés

Por fim o passeio a Península Valdés vale muito à pena, quando se tem sorte para avistar animais mais raros torna-se um passeio ainda mais inesquecível. É importante planejar a viagem de acordo com o animal que pretende-se avistar, pois dependendo da época a visita pode não ser interessante.

Para mais informações sobre a Pensínsula Valdés acesse:

http://www.peninsulavaldes.org.ar ou

http://www.puertopiramides.gov.ar

Keisuke Kira
Sobre Keisuke Kira

Paulistano, estudante de biologia, amante de fotografia. Adora a cidade mas prefere a montanha. Como todo biólogo ama estar no mato. Curte um pedal, trekking, e viagens nem se fala! Mais posts

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*