Novidades

Comida Liofilizada – Liofoods

Depois de horas e horas andando, no final do dia bate aquela fome não é mesmo? Depois de armar a barraca você só pensa em duas coisas: comer e descansar!

Já dei no Facebook a dica do blog da Carol Emboava, o Cozinha na Mochila, pra quem gosta de cozinhar, ou pra quem chegou mais cedo no acampamento é uma ótima pedida preparar alguma das receitas da Carol, que são um pouco mais elaboradas e levam um pouco mais de tempo obviamente.

Mas e se você tá realmente cansado, varado de fome e aquele miojão não desce mais?

Uma boa alternativa são os alimentos liofilizados. Eles são vantajosos porque preservam o sabor, o aroma e todas as propriedades nutricionais do alimento sem a adição de conservantes, logo, bem mais interessantes que os congelados por exemplo, que por sinal são inviáveis em atividades outdoor, além disso podem ser conservados em temperatura ambiente por vários anos.

Comida liofilizada da marca Liofoods

A liofilização é um processo de desidratação do alimento no qual é congelado sob vácuo e o gelo sublimado.

Quando experimentei pela primeira vez, eu tinha acabado de chegar de um trekking de uns 20 quilômetros pela Serra da Mantiqueira, e aquela refeição foi um banquete, comi quase chorando!

Quando lia relatos na internet ou assistia vídeos sobre o produto as pessoas sempre diziam que era uma delícia, que parecia comida feita na hora e tudo mais. Bom, minha opinião, não é tudo isso que a galera diz, eu não trocaria por um bom almoço caseiro mineiro, claro, mas é gostoso sim, e em uma situação de trilha como eu disse fica melhor ainda!

A marca mais conhecida, e talvez uma das únicas do Brasil é a Liofoods, facilmente encontrado em lojas de esportes de aventura, inclusive na internet!

A vantagem desse tipo de alimento é que são extramente leves, ocupam pouco espaço na mochila, e são realmente muito fáceis e rápidos de serem preparados. Basta adicionar água fervente à comida liofilizada, esperar cerca de 3 minutos e voilà, arroz, feijão, purê, carne, frango, batata, macarrão e até strogonoff estão prontos!

Eu particularmente, prefiro “regar” a comida com a água fervente, mais muitas pessoas inventam suas próprias maneiras.

Para finalizar, a Liofoods e alimentos liofilizados em geral são vantajosos sim, e na opinião de muitos aventureiros, muito saborosos!

Enfim, para alimentação outdoor está recomendadíssimo, porque fazer uma refeição reforçada como os produtos da Liofoods é difícil em uma situação de camping, e com a facilidade e praticidade com que são preparados merecem um ponto positivo e um lugar na sua próxima aventura!

Onde encontrar:

Eu tenho alguns produtos da Liofoods em estoque que comprei com  um representante da marca, logo, está com o preço igual ou até melhor que nas lojas, para quem se interessou, deixe seu email nos comentários ou uma mensagem no Facebook que mando a tabela de preços!

Abraços e bons ventos!

Keisuke Kira
Sobre Keisuke Kira

Paulistano, estudante de biologia, amante de fotografia. Adora a cidade mas prefere a montanha. Como todo biólogo ama estar no mato. Curte um pedal, trekking, e viagens nem se fala! Mais posts

3 Comments on Comida Liofilizada – Liofoods

  1. Nunca tive boas experiências com liofoods em campo, principalmente em dias frios.
    Uma boa melhoria seria saquinhos zip para os itens separados. E ahhh! a medida de água me parece meio imprecisa. No feijão, por exemplo, da pra colocar muito mais. As carnes, precisam de mais tempo e água mais quente, ou manter a temperatura da água da carne. O queijo, nunca consegui comer algo que pareça queijo mesmo. O arroz ainda é um dos mais “easy go”. O campeão de facilidade/benefício é o purê de batata. Quanto mais água tu coloca, mais comida você tem hehehe. Massas, acabam ficando com uma consistência desagradável.
    O melhor resultado que encontrei com a Liofoods foi o kit de estrogonofe de frango. Mas o preparo nesse tipo de só colocar a água e esperar, nunca deu certo. Então faço assim: fervo a água e coloco num recipiente, daí abaixo o fogo e coloco o estrogonofe (seco) na panela (que está no fogo). Adiciono a medida de água (na verdade um pouco mais). Espero 1/3 do tempo indicado. Então abro espaço na panela para o arroz, coloco o resto da água e por cima do arroz, a batata. Espera o arroz “amolecer” e manda pra dentro. Só assim, fica quente e a carne não fica tão “seca”.
    Carne de gado e omelete, precisam de mais tempo em água quente pra ficar menos borrachudo, mas sigo o mesmo procedimento: na panela. O feijão também não fica tão “feijão de verdade” só colocando água, mas daí fazer nesse sistema de manter aquecido na panela enquanto hidrata, com o feijão não rola. Precisaria uma panela separada, pois ele contaminaria demais o resto. Se bem que na fome e na pressa, mistura tudo e mete bala!

  2. Alessandra Cecília // outubro 1, 2015 em 12:12 pm // Responder

    Gostaria da tabela de preços. Agradeço muito

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*